fbpx

Após “acordo”, Ney Santos orienta GCM para não ir nos bairros

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on whatsapp

Duas mortes suspeitas em menos de 1 mês e a atuação limitada da GCM. Um motorista de Uber foi brutalmente assassinado em uma cidade que sempre prezou pela segurança pública.

O pilar de qualquer administração pública é manter a segurança da cidade, em Embu das Artes às vésperas das eleições municipais o cenário é outro.

Uma determinação um tanto curiosa foi feita pelo prefeito Ney Santos (Republicanos), candidato a reeleição na cidade. Os guardas possuem uma ordem de serviço que orienta o patrulhamento preventivo apenas nas grandes avenidas.

VEJA: Confira a ordem de serviço em que a GCM é orientada a ficar parada nas ruas e não fazer patrulhamento nos bairros. 

Uma guarda civil que não pode trabalhar

Segundo informações obtidas com exclusividade, Ney Santos teria selado um acordo de paz com os chefões do tráfico na cidade. Uma das provas desse acordo são os chamados via 153 que não são atendidos. Outra prova são os pontos de vendas de entorpecentes que não recebem a visita da GCM.

Com isso, duas mortes suspeitas aconteceram e não puderam ter atenção da Guarda Civil Municipal. Uma ocorreu no Santa Clara e a outra no Jardim Valo Verde.

Guarda Civil relata preocupação com o próprio trabalho

Em conversa com um funcionário da GCM de Embu das Artes, que preferiu não se identificar com medo de represálias, o guarda relatou que não há irregularidades na ordem de serviço, no entanto, se o patrulhamento nas avenidas ocupa todo o plantão, os agentes não estão tendo tempo para patrulhar as comunidades como acontecia anteriormente.

“Os bairros são os que sofrem com a criminalidade, e é justo nos bairros que não estamos patrulhando”.

O funcionário da guarda ainda relatou que dessa maneira, prefere procurar outro concurso.

“Estou procurando outro concurso, porque não consigo concordar em ficar desfilando de viatura aí. Hoje não podemos exercer nosso papel e muitas vezes não podemos atender as ocorrências do 153”.

Outro agente afirmou que há uma conversa interna na GCM afirmando um acordo de Ney Santos e a criminalidade. “O Ney Santos fez acordo com o tráfico de drogas pensando em voto”. E também que nos bastidores comentam que a atuação da GCM inibe o tráfico nas comunidades. Com o “acordo”, os traficantes teriam liberdade para fazer os acertos.

GOSTOU DESSE CONTEÚDO?

Então ajude o Embu News e compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Comentários

  • Tenque acaba com essa lei ai de som ficam ai ligando por causa de som.achando que vai acaba com isso pois n vai.vizinho fica ligando atrapalhando trabalho da policia por som ao invez de ta ai atendendo outras ocorrencia q realmentr importa.

  • MAIS NOTÍCIAS

    Prefeito loteou a Secretaria de Saúde

    No início do novo mandato 2021 – 2024, todos os secretários deixaram seus cargos a disposição. Uma atitude protocolar que geralmente acontece em inícios de

    >