fbpx

Renato Oliveira, escolhido presidente da Câmara em Embu das Artes, responde processo por atentado contra jornalista

Com a eleição de Renato Oliveira, o poder executivo e a linha de sucessão direta são alvos de processos na justiça.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on whatsapp

Por David Felipe da Silva

Durante a cerimônia de posse, realizada nesta sexta-feira, ao realizarem as eleições para composição da Mesa Diretora na Câmara Municipal de Embu das Artes, os vereadores elegeram Renato Oliveira (MDB) como presidente da câmara, com explícito apoio do prefeito Ney Santos. 

Renato atualmente responde processo por tentativa de homicídio triplamente qualificado, por conta de um atentado que cometeu contra o jornalista e chargista Gabriel Binho há 3 anos. O jornalista realizava na época a cobertura dos protestos contra a taxa do lixo, que havia sido implantada pelo governo naquele ano.

O atentado que ocorreu em 27 de dezembro de 2017, Binho estava pilotando sua moto na Rodovia Régis Bittencourt quando foi atingido por um carro, sendo derrubado da moto e alvejado por tiros. Posteriormente, após investigações da Polícia Cívil, chegaram até Renato Oliveira e Lenon Roque, que chegou a ser preso posteriormente por ter sido pego em flagrante em carro oficial, acompanhado de Ney Santos, por porte ilegal de arma.

O prefeito Ney Santos, prefeito reeleito que também foi empossado nesta sexta, ficou conhecido nacionalmente pelos problemas com a Justiça ao longo de sua trajetória, tendo sido preso há cerca de 20 anos, teve seu mandato cassado em 2019 e a chapa que concorria à prefeitura cassada em dezembro de 2020, mas conseguiu assumir o cargo sob efeito de liminar.

Desta maneira, o poder executivo e sua linha de sucessão são alvos da Justiça, com a possibilidade de serem cassados ao longo do mandato. Renato Oliveira, se condenado, pode ser preso.

Todos os vereadores apoiaram a composição da Mesa Diretora encabeçada por Renato Oliveira, exceto Abidan Henrique (PDT), único vereador que se posicionou como oposição ao governo Ney Santos. 

Dos 17 vereadores da legislatura anterior, apenas 7 foram reeleitos, sendo: Índio Silva (Republicanos), Ricardo Almeida (Republicanos), Bobilel Castilho (PSC), Gilson Oliveira (Republicanos), Gerson Olegário (Avante) e Joãozinho da Farmácia (PL) e Luiz do Depósito (MDB). 

Luiz do Depósito durante a cerimônia de posse, pediu licença do cargo para assumir uma pasta da prefeitura como secretário. 

Além dos reeleitos, tomaram posse: Gideon Santos (Republicanos), Abel Arantes (PL), Alexandre Campos (PTB), Aline Santos (MDB), Dede (Republicanos), Renato Oliveira (MDB), Betinho Souza (PSD), Abidan Henrique (PDT), Adalto Batista (PSDB) e Sander Castro (Podemos), sendo este último parte de um mandato coletivo, forma de candidatura que vem crescendo pelo país. 

Mesmo em uma cidade com cerca de 54% de mulheres, apenas uma candidata foi eleita nesta legislatura, Aline Santos (MDB). Na legislatura passada haviam duas mulheres, Rosângela Santos e Dra. Bete, que concorreram à prefeitura em 2020.

GOSTOU DESSE CONTEÚDO?

Então ajude o Embu News e compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Comentários

MAIS NOTÍCIAS

Prefeito loteou a Secretaria de Saúde

No início do novo mandato 2021 – 2024, todos os secretários deixaram seus cargos a disposição. Uma atitude protocolar que geralmente acontece em inícios de

>