fbpx

Ney Santos poderá ser novamente preso por até 6 anos por posse de arma com numeração raspada; ENTENDA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on whatsapp

Em processo movido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, o prefeito de Embu das Artes, Ney Santos, foi indiciado por porte de arma de fogo calibre .380, da marca Taurus, com numeração suprimida, com três carregadores, “mira laser” – de uso restrito e sem autorização, colete a prova de balas, 45 munições calibre 38.

Na ocasião, Ney estava no município de Cosmópolis (150 km de Embu das Artes) para “ver um terreno” – segundo o próprio Ney Santos, quando foi abordado pela Polícia Militar, quando prestou esclarecimentos e foi liberado. O seu motorista, Lenon Roque, ficou detido, com prisão convertida em preventiva, situação que se estende até o presente momento.

Na presente matéria, o site Embu News vai mostrar detalhes do processo 2055417-40.2019.8.26.0000, em que Ney Santos é indiciado por porte ilegal de arma de fogo, no artigo 16 da lei n.º 10826/2003, podendo ser condenado de 3 a 6 anos de prisão.

O processo

Na petição inicial, o procurador João Antonio Bastos denuncia Ney Santos e Lenon Roque:

1. CLAUDINEI ALVES DOS SANTOS, vulgos “Nei Santos” e “Nei Gordo”, como incurso no artigo 1o, inciso II do Decreto-lei n.o 201/67, em concurso material com o artigo 16, caput e parágrafo único, inciso IV, da Lei n.o 10826/2003, na forma do artigo 29 do Código Penal;

O artigo 16 da Lei 10826/2003 diz:

Art. 16. Possuir, deter, portar, adquirir, fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que gratuitamente, emprestar, remeter, empregar, manter sob sua guarda ou ocultar arma de fogo, acessório ou munição de uso restrito, sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar.

Pena – reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos, e multa.

Ainda no processo, Ney Santos é visto como um criminoso com extensa ficha em sua vida pregressa, desde 1999, então com 19 anos, quando foi preso em flagrante por receptação e formação de quadrilha:

CLAUDINEI ALVES DOS SANTOS, atual prefeito de Embu das Artes, iniciou sua vida criminosa em 22/05/1999, ocasião em que foi preso em flagrante na cidade de Embu pela prática dos crimes de receptação e formação de quadrilha ou bando, conforme demonstra sua folha de antecedentes.

Ainda são citados os casos em que Ney Santos foi preso no dia 01/09/2003 e condenado por 5 anos de reclusão, e também os 130 casos de crimes de lavagem de dinheiro decorrentes do narcotráfico, todos entre 2005 e 2016.

No processo há um resumo de toda a vida pregressa do prefeito de Embu das Artes, com datas, números de processos e decisões judiciais. Tudo para contextualizar a denúncia no caso da arma raspada.

VEJA: Confira na íntegra o processo de Ney Santos no caso Cosmópolis

VEJA: Confira o pedido de prisão preventiva de Ney Santos

O patrimônio de Ney Santos

Ainda no processo, é possível ver a evolução do patrimônio de Ney. Nos autos do processo em que ele é preso por roubo a banco, é declarado o patrimônio de R$ 105.000,00 (cento e cinco mil reais). Após a saída da prisão e já membro de facção criminosa, segundo autos do mesmo processo, Ney Santos declara R$ 1.279.286,85 no ano de 2010, R$ 1.460.000,00 no ano de 2012 e R$ 2.065.186,85 no ano de 2016.

Cabe ressaltar que em 2016, nas eleições municipais, Ney Santos declara possuir mais de R$ 1.650.000,00 em espécie.

Na eleição ocorrida no ano de 2016, o denunciado CLAUDINEI ALVES DOS SANTOS declarou possuir nada menos que R$ 1.650.000,00 em espécie, fato nada comum para pessoas de bem.

Autos do processo 2055417-40.2019.8.26.0000

O gráfico do patrimônio de Ney Santos tem um aumento de 1.966,84% em 11 anos, conforme gráfico:

O caso Binho

Na denúncia inicial, o procurador cita Gabriel Binho e o caso de tentativa de homicídio do jornalista e chargista.

Naqueles autos judiciais, apurou que Gabriel Barbosa da Silva é cartunista de veículo de comunicação digital e, no cumprimento de seu ofício, publicou matérias contendo críticas à administração de CLAUDINEI ALVES DOS SANTOS. Assim, juntamente com FRANCISCO RENATO, LENON ROQUE tentou dar cabo à vida do ofendido pelo torpe motivo de críticas a CLAUDINEI.

No mesmo processo, é citado que os crimes praticados por Lenon foram motivados por interesses de Ney Santos.

O depoimento da polícia

Em depoimento obtido pelo site Embu News, o policial que abordou Ney Santos na cidade de Cosmópolis diz que já conhecia Ney Santos pela fama de criminoso. Mais a frente, diz que Ney Santos falou para Lenon: “você me fodeu, sabe que estou todo enrolado”.

Promotora: O senhor lembra o que eles disseram, para onde estavam indo ou de onde estavam voltando, quando…

Posted by Embu News on Tuesday, February 18, 2020

Promotora O senhor lembra o que eles disseram, para onde estavam indo ou de onde estavam voltando, quando abordados?
Policial O prefeito Ney Santos disse que veio a Cosmópolis ver um terreno para comprar. Mas não deram muito detalhes. Até porque fizemos as primeiras perguntas para Ney Santos e depois viemos entrevistar o motorista. Nisso, Ney Santos já pegou o celular e ficou o tempo todo no celular. E depois desse momento ele se afastou da abordagem e não tivemos tanto contato.
Promotora Dava para perceber se o Lenon tinha uma relação de subordinação com o prefeito? Chamava de senhor prefeito, era uma coisa formal?
Policial Chamava de senhor, várias vezes pediu desculpas depois que a gente pegou a arma.

Em outro momento, o policial diz que conhecia a vida pregressa de Ney Santos:

Promotora O senhor chamou o Claudinei de Ney Santos. Ele é conhecido? Ele é uma pessoa conhecida?Policial É… Entre…

Posted by Embu News on Tuesday, February 18, 2020

Promotora O senhor chamou o Claudinei de Ney Santos. Ele é conhecido? Ele é uma pessoa conhecida?
Policial É… Entre os policiais sim.
Promotora Como prefeito de Embu das Artes ou como criminoso?
Policial Não… No mundo do crime. Inclusive de ver pela mídia. Relacionado ao PCC.

Os advogados e as testemunhas

Durante o processo, o também réu Lenon Roque trocou de defesa. O antigo advogado renunciou o caso, abrindo espaço para um novo advogado, conforme documento obtido pelo site Embu News:

A troca de advogados foi feita em maio de 2019, 3 meses após a prisão de Lenon. A defesa de Lenon também solicitou que Renato Oliveira, réu por tentativa de homicídio triplamente qualificado, fosse testemunha do caso, mas logo após desistiu e pediu para que Renato não fosse mais testemunha.

O interrogatório de Ney Santos

Após mais de um ano de investigações e inquérito, Ney Santos será interrogado em 03 de abril, conforme noticiou o site Embu News.

A defesa de Ney Santos pediu que fosse recolhida a carta de ordem de interrogatório, pois falta uma testemunha para ser ouvida: o mesmo Renato Oliveira.

Fontes do Embu News ligados a Prefeitura informaram que após diversos pedidos de hábeas corpus negados, Lenon Roque estaria disposto a delatar e contar o que Ney Santos foi fazer em Cosmópolis com uma arma raspada, mira laser e colete a prova de balas.

GOSTOU DESSE CONTEÚDO?

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp

MAIS NOTÍCIAS

Search
Generic filters
Filter by Categorias
Arte e cultura
Cidade
Colunistas
Halana Souza
Hilka Caldi
Marcel Moreno
Pullman Pullman
Tadeu Veron
Editorial
Educação
Enquete da semana
Especial
Fato ou fake?
Featured
Meio ambiente
Mobilidade e transporte
Moradia
outros
Saúde
Segurança
Sem categoria

Buscas mais realizadas:
neyembupolíciapastorpizza

>